Criatividade e Inovação, Qual a Diferença?

A palavra “criatividade” ganhou muita visibilidade nos últimos tempos, como o elemento e inspiração necessária para o sucesso das empresas e uma característica desejada em estudantes, líderes e em seres humanos das mais diversas áreas e com os mais diversos interesses.

Porém, mesmo ganhando espaço nas salas de aula das escolas e universidades e nas salas de treinamento de grandes corporações, ainda existem muitos mitos e falsos discursos sobre a criatividade.

Criatividade e Inovação, qual a diferença?

O primeiro deles é o de que existem pessoas criativas e pessoas “não-criativas”, ou ainda que existem trabalhos onde a criatividade é 100% necessária, como a publicidade, o cinema, as artes plásticas e a arquitetura; e que outros não possuem espaço para a pessoa criativa existir e criar, como a contabilidade ou a engenharia.

Para derrubar de vez esses mitos, nós precisamos todos repetir várias vezes que “Somos todos criativos, a criatividade é inata do ser humano, nascemos com essa habilidade”. Basta analisar as crianças e a curiosidade com que elas são geradas, como elas exploram o mundo e geram as mais preciosas e imprevisíveis ideias em suas mentes criativas.

Da mesma forma, todas as profissões e disciplinas e todas as profissões podem se beneficiar do pensamento curioso e criativo, que busca novas formas de fazer as atividades “que sempre foram feitas assim”.

O mundo dos negócios, da educação e do entretenimento precisam de pessoas dispostas a desafiar o status quo e olhar o mesmos cenários, os mesmos recursos e os mesmos desafios que todos, mas enxergar oportunidades diferentes.

Isso é criatividade, a nossa capacidade de gerar um grande número de ideias, combinar insights de diferentes áreas e atividades de maneiras únicas. Na criatividade, quantidade importa, pois quanto mais ideias somos capazes de gerar, maior a nossa chance de gerar ideias verdadeiramente originais.

Porém não se iluda, mesmo sendo uma característica inata, isso não significa que a geração de ideias não precisa de métodos, ferramentas e estímulos para acontecer. Precisamos imaginar que nossa criatividade é como um músculo, precisamos exercitar constantemente para que ele não perca a força e se atrofie!

O nosso cérebro está programado para economizar energia, para repetir pensamentos e comportamentos que ele já conhece, para achar uma única resposta certa e entender o mundo a partir de padrões preestabelecidos. Portanto, pensar de forma criativa exige um esforço para tirar o nosso querido cérebro da sua zona de conforto.

Sendo criatividade é a nossa capacidade de pensar de forma divergente, gerando muitas possibilidades para resolver um mesmo problema, muitas ideais e formas diferentes de fazer alguma coisa, ela seria o que muitos chama de inovação? A resposta para essa pergunta é não.

A inovação é uma ideia, com uma nova abordagem ou com tecnologias novas para um dado seguimento, que foi testada e gerou valor para a pessoa ou empresa que a realizou.

Gerar valor não significa apenas ter resultados financeiros, uma inovação pode gerar valor de diversas formas, por exemplo: melhorando a vida de um grupo de pessoas, diminuindo o impacto ambiental de uma atividade e acelerando um processo de aprendizado.

Talvez uma das melhores definições de inovação seja a apresentada no livro 10 Tipos de Inovação: “Inovação é a criação de uma oferta nova e viável”. Podemos apenas acrescentar um pequeno detalhe “Inovação é a criação de uma oferta nova e viável, que gere valor”.

Um exemplo de criatividade sendo posta em prática para revolucionar um mercado considerado “não-criativo” e que gerou valor para as duas partes que usam são as tão famosas fintechs, startups que trabalham para inovar e otimizar serviços do sistema financeiro.

A mais conhecida delas aqui no Brasil é o Nubank, que vêm competindo diretamente com grandes bancos tradicionais e forçando que eles se reinventem para atender melhor seus clientes e não deixar que o Nubank “os roube”.

Inovação e criatividade com Nubank

Portanto, podemos concluir que criatividade é a nossa capacidade de pensar de maneira combinativa e divergente para gerar ideias, enquanto inovação é a nossa capacidade de selecionar as ideias verdadeiramente novas e viáveis, testá-las e coloca-las em prática, gerando valor a partir delas.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *